sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Sobre desenvolver seu estilo e compras inteligentes!

Amanhã participarei de um bazar promovido por uma amiga. Será um evento privado para poucas pessoas. O objetivo é que todo mundo junte roupas e acessórios que estão em boas condições mas que andam esquecidos no fundo do armário, por várias razões. Podem ser roupas que não servem, que compramos e não usamos, ou usamos muito pouco, e o mesmo princípio vale para os acessórios.

Sabe aquelas maquiagens "básicas" e super "essenciais"?
 Eu achei a ideia muito interessante, hoje separei várias peças de roupas, acessórios, e maquiagens que ou foram usadas uma vez ou apenas testadas. Já faz alguns anos que tenho evitado acumular roupas. Nem sempre foi assim, por uma parte significativa da minha vida eu guardava sapatos e roupas que não me serviam mais,  fisicamente ou psicologicamente, por puro apego. Achava que algum dia poderiam ser úteis, que viria a precisar de tais peças. Mas olhando agora em retrospecto posso afirmar que nenhuma peça ou acessório que eu tenha passado mais de dois anos sem usar poderia ser útil.  Se uma peça está guardada a tanto tempo é bem grande a chance dela representar um apego emocional ao invés de ser uma utilidade na nossa vida.

Roupa de trabalho de alguns é a de festa de outros, é relativo.
Podemos dividir as roupas que guardamos no nosso armário em  3 tipos:
  • Aquelas que precisamos e usamos com frequência em função da nossa rotina. São nosso uniforme, podem roupas sociais para um emprego formal, podem ser roupas confortáveis para funções mais informais onde o conforto é mais importante. Todo mundo tem um conjunto de roupas cuja função primordial é compor o visual da rotina, seja ela qual for, com a necessidade específica de cada pessoa.
  • Roupas para ocasiões especiais. Em geral não precisamos de muitas peças desta natureza, ou pelo menos precisamos de menos peças para ocasiões especiais do que aquela quantidade destinada à rotina. Podem ser roupas de festa, roupas para sair a noite, roupas para ir à igreja. As roupas de festa podem ser mais formais, de gala,  ou esporte fino. As roupas para sair a noite podem contemplar aqueles estilos com a finalidade específica de chamar a atenção na "balada", não são roupas que usualmente você usaria para ir ao supermercado.
  • Roupas para o lazer e para ficar em casa. Nesta categoria entram pijamas e roupas de clube.

Gente que é cosplay no dia a dia.
 Mas existem peças que oferecem um risco enorme de se tornarem um desperdício. São aquelas que compramos não porque elas se encaixam em uma das categorias práticas acima, mas porque elas viriam a satisfazer demandas de outra ordem: as peças de fundo emocional.

Dia a dia ideal, quem nunca?
 Peças que não servem mais, mas que um dia "irão servir", sabe aquela calça jeans menor? Então. Sabe aquele vestido de festa incrível? Ele seria mais incrível se você já não tivesse outros 15 no armários, e tivesse ido a menos de 3 festas no último ano. Muitas vezes compramos mais roupas para a vida que queremos ter do que para a vida que temos, e terminamos com um armário incrível para ocasiões que frequentamos pouco, enquanto repetimos até desmanchar certas peças no dia a dia. É uma questão de equilíbrio. O guarda roupa deve ser um reflexo das suas necessidades práticas, e não emocionais. É claro que peças de fundo emocional existirão no nosso armário, mas é ideal que elas tenham seu espaço, que não sejam a maioria, e que tenhamos consciência do que elas representam. Senão você corre o risco de ter guarda roupa bem legal mas andar como mendiga no dia a dia. Eu sei bem como é porque já passei por isso.

Roupas e make legais, mas guardados...
  Sabe aquela blusa/saia/vestido/batom/colar que ficou incrível na colega/amiga/moça da novela e que você compra mesmo sabendo que não costuma usar nada parecido? A chance desta peça ser incorporada ao seu guarda roupa é quase nula. Porque se você tivesse gostado dela porque ela combina com você o fato da fulana ter ficado bonita com aquilo não te pareceria tão importante. É claro que usamos as imagens das outras pessoas como referência, fazemos isso o tempo todo com as colegas/amigas/atrizes.Mas pense bem quando estiver comprando, vc está comprando porque isso combina com você ou porque estava bonito na fulana e você quer ficar bonita também? Faz toda a diferença, afinal a peça tem que combinar com você, com as suas especificidades, com seu estilo e suas cores. Já investi em maquiagens lindas, festivas, mas que se tivesse sido investimentos em peças mais básicas, condizentes com meu estilo, certamente teriam tido melhor custo benefício.

Não se deixe levar pelo que está exposto na loja...
Ter menos pode ser mais se significar que as peças serão mais usadas. Um batom de 80 reais que for usado até o final terá saído mais barato que um batom de 8 que foi usado só uma vez. É possível inclusive calcular este custo benefício dividindo o preço da peça pelo número de usos. Uma calça jeans boa de 200 reais que for usada pelo menos 60 vezes ao longo de um ano cada vez que você usar terá custado 3,33 reais. Por outro lado aquela blusinha de pano ruim que você pagou 10 reais e que não durará duas lavagens na máquina de lavar, terá custado por duas utilizações 5 reais a cada vez. O que saiu caro aqui? Eu pessoalmente acho uma calça de 200 reais cara, mas me parece que o "espírito da coisa" permanece. Se a peça é boa e o custo dela se levando em conta o número de vezes em que será usada for baixo, é um "caro que sai barato" como dizem por aí. E o contrário é verdadeiro, tem barato que sai caro.
Ou também use suas roupas phenas no dia a dia, nunca se sabe...
Se você tem muita peça, de muita coisa, primeiro você tem o problema de como tornar aquilo tudo visível. Aquilo que não vemos acabamos não usando. Depois tem o problema do desperdício, o dinheiro poderia ter sido revertido em algo mais interessante, como em um projeto de vida (casa, faculdade, viagem). Não interessa se você está numa situação financeira que te permita desperdiçar. Desperdício, especialmente quando fruto de esbanjamento, é algo de mau gosto, cafona, e, diante de um mundo com tanta gente com tão pouco, é também algo imoral.


Quando você compra algo com seu estilo aquilo combinará facilmente com o que você já tem, pois estará dentro da mesma proposta e dentro da mesma paleta de cores. Quando você conhece seu estilo você compra menos pois adquire peças que realmente está precisando, ou porque não tem ou para repor aquilo que acabou. Quando você tem intimidade com seus gostos e sua beleza natural você sabe que aquela roupa linda da vitrine não combina com seu tipo de corpo, ou a cor dele não te valoriza. Ou você já tem algo muito parecido em casa que já oferece o mesmo efeito. Elaborei algumas perguntas neste sentido para você se fazer quando for comprar algo:
  • Eu preciso disso?
  • Isso combina com meu estilo e as peças que já tenho em casa?
  • Eu já tenho algo parecido em casa que recria o mesmo efeito?
  • O material é bom e isso vai durar o suficiente para valer a pena comprar?
  • O preço está justo? Eu usarei isso com uma frequência que compensará a compra?
  • O tamanho está correto em mim e com o caimento perfeito? Ou é facilmente ajustável numa costureira e estou disposto a fazer isso?
  • A cor combina comigo e é uma cor que eu uso de verdade?
  • Comprar este item, neste momento, não vai me prejudicar economicamente? Será que devo esperar?
Se a compra sobreviver a todas as perguntas, pode chegar nela!
Eu ainda estou desenvolvendo meu estilo, mas já percorri parte do caminho. Certos modelos de roupas e cores eu nem experimento, o que me poupa tempo e dinheiro. É um exercício de auto conhecimento que leva tempo mesmo, até porque nosso estilo também é desenvolvido conforme a nossa fase da vida. Os "visús do dia" no blog são fruto das minhas experimentações, onde às vezes experimento pela primeira vez certas combinações.  Desenvolver um estilo é um processo, algo que adquirimos através do hábito, como em tantas outras áreas na vida. Bom fim de semana para você que chegou até o final do (longo,imenso,descomunal) texto de hoje!

18 comentários:

  1. Ê eu cheguei ate o final hahahah \o/
    Concordo com o seu texto, o autoconhecimento (sobre sua vida, seu corpo, seu bolso) é muito importante para não desperdiçarmos dinheiro / tempo / espaço. Geeeente, o que é a velhinha no melhor estilo "vem que vem que vem quicando" HAHAHAHAHHAHAHAHA
    Para compras, eu tenho a regra dos três meses. Quero comprar, espero três meses. Se eu ainda lembrar e precisar, aí sim eu gasto meu rico dinheiro :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Luana! Eu rachei de rir quando achei este gif da velhinha! hahahaha
      A regra dos 3 meses é boa, acho que quando não há uma necessidade urgente é sim um bom direcionamento para filtrar as compras por impulso.
      Este do "ainda lembrar" é sensacional, porque é isso mesmo. Às vezes até podemos esquecer daquele item que num momento pareceu imprescindível.
      Bjos!

      Excluir
  2. boa tarde
    Estou praticando o desapego aos poucos... semana passada cortei um pouco o cabelo pra mudar de cara e mudar meus pensamentos, ja q agora tenho tempo p/ refletir s/ minha vida de forma geral.
    Estou bem acima do peso e tenho roupas q ñ servem guardadas, com certeza é apego emocional mesmo.
    Recentemente tive o casamento do meu irmao p ir, fui madrinha, percebi q tenho uma boa qtidade de make de festa ou mais chamativo do q costumo usar no dia a dia.
    Sei q ñ preciso de um guarda roupas lotado, uma qtidade enorme de makes, muitos esmaltes para me sentir bem. Atualmente estou usando poucas roupas, saias, vestidos , devido a tipoia e tem dado p me virar bem...
    ja escrevi muito, nem sei se deu p/ entender...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Valkika, obrigada pelo seu comentário!
      Acho que você está no caminho certo, o desapego não é algo que se adquire imediatamente, é aos poucos mesmo. Cortar o cabelo é um bom começo, muitas vezes uma mudança exterior leva a uma mudança interior.
      Sobre as roupas guardadas, pensa o seguinte, mesmo que você emagreça tudo o que deseja hoje, você voltaria a usá-las? Elas refletem como você se sente hoje como pessoa? Às vezes são peças que participaram de um momento na sua história, mas que não tem mais espaço na sua vida atual. E não é nem questão de servir só, tem este lado psicológico também. Outra coisa para se pensar é e se você não emagrecer? Vai ficar juntando roupas que podem te fazer sentir mal consigo mesma?

      E se você emagrecer, você vai se privar de comprar roupas novas para seu corpo recente porque já tem essas antigas? Será que outras pessoas não serão mais felizes com essas roupas? Eu já pesei 120 quilos. Uma das experiências mais gostosas quando emagrecemos é justamente comprar uma roupa nova, que não serviria antes, como recompensa pelo esforço. É um presente seu para você, e também porque com corpo novo você precisará de roupas novas. O que você acha?

      Eu sei bem como é ter mais make chamativas, e muuuuitos esmaltes. Já passei dos 400, fui praticando o desapego, dando esmaltes que não usava para pessoas que foram felizes com eles, jogando esmalte velho fora. Maquiagem também vence, tem que pensar nisso.
      Espero que você esteja bem, seja qualquer a razão da tipóia.
      Você nem escreveu muito, olha só o tamanho da minha resposta? hahahahah
      É um prazer responder comentários como o seu!
      Beijo!

      Excluir
    2. Sofri um acidente de moto, minha escapula quebrou, entao tenho q fazer repouso e usar tipóia... fiz uma limpa nos esmaltes, minha coleçao ñ é grande... até pedi uns esmaltes diferentes, ja q ñ estou trabalhando...
      Estou aguardando meu osso colar p/ fazer uma limpeza nos armários...
      Andei refletindo muito s/ meu peso após acidente, ñ fiz nada , nem dieta,nem atividade fisica qdo podia, agora c/ esse repouso tb ñ posso fazer nada... Peso 103kgs, quero pelo menos sair da casa dos 3 dígitos logo q possivel.
      Entao pode escrever s/ emagrecimento..
      um abraço.

      Excluir
    3. fiz um comentário, agora estou sem saber se foi concluído...

      Excluir
    4. Pesar mais de 3 dígitos é complicado mesmo. Um dos marcos importantes para mim foi justamente este. Você tem que se preocupar em ficar bem, você não está passando por um período fácil. Escapula faz parte de uma articulação importantíssima.
      Eu não entendo o "s/" é "sem" ou "sobre" ou outra coisa?
      Bjão e melhoras!

      Excluir
    5. obrigada.
      estou abreviando tudo rsrs ... pq estou digitando com 1 mão e demora muito...
      Abreviações: Nos 2 casos que usei "s/" quis dizer sobre ... nem sei se está certo... ñ sou muito boa em português... vou até pesquisar.
      Vou tentar parar de abreviar as coisas.

      Excluir
    6. Entendi Valkika, vc está certa, eu é que não sabia mesmo, obrigada! Faço ideia do trabalhão que deve ser digitar com uma mão só, sabe do seu esforço só aumenta meu carinho pelos seus comentários, obrigadíssima! Não para de abreviar não, se isso te trás conforto está certo!
      Beijos!

      Excluir
  3. A idéia do bazar é boa mesmo.
    Eu sempre estou me desapegando de coisas, seja doando ou vendendo. Comigo, nada fica parado. Se não estou usando, vendo ou dou enquanto está novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que você está absolutamente certa! Uma coisa que aprendi a observar mais com você é isso de makes parecidas que criam o mesmo efeito, então para que comprar mais?
      Bjo!

      Excluir
    2. Pois é. To super nessa vibe. A gente compra mta coisa pq a embalagem é bonita ou diferente ou tá numa paleta sei la oq... qdo vai ver, já tem aquilo tudo.

      Excluir
  4. Sempre gostei de maquiagem mas,quando comecei a ver vídeos no you tube,há 5 anos atrás,comecei a comprar muito,a achar que tinha que ter aquele batom ou aquela sombra,base,blush etc,resultado,acumulei muitas coisas que nem usava.Um dia olhei para aquilo tudo e me entristeci,porque,vi que tinha jogado dinheiro fora,então,resolvi ficar só com o que realmente,eu iria usar e doei o restante para amigas e família (elas fizeram a festa,haha,tinha que ver a alegria delas,rs).Ainda compro maquiagem,só que agora de forma consciente,quando compro tenho a certeza que é porque vou usar mesmo,e penso como vc,é melhor dinheiro gasto em um batom de 80 reais que é usado até o fim,do que um de 8 reais que é usado só uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Renata! Hoje dei no bazar várias coisas que estavam encalhadas aqui em casa, que certamente fizeram a alegria de quem ganhou. A vida da gente fica mais leve quando desapegamos né? Em vários sentidos!
      Bjo!

      Excluir
  5. As dicas são todas muito boas e úteis. é aquilo que a gente sempre conversa, né? quando sabemos o que comprar, usamos tudo o que temos, tudo combina com tudo e podemos investir mais numa peça de excelente qualidade, porque paramos de jogar dinheiro fora com peças que nunca usaremos. Post super útil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, passamos a "investir" em peças ao invés de comprar que serão desperdiçadas.
      Obrigada! Bjo!

      Excluir
  6. Respostas
    1. cabô não, estamos dando um tempo até a inspiração voltar.

      Excluir